sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Tocas a minha alma tão sublime e doce, por vezes chego a achar que me estás a tocar no rosto e a pedir um beijo, mas depois abro os olhos e vejo que tu não estás aqui.

Sem comentários: