terça-feira, 5 de julho de 2011

caminhos escuros, cartas brancas

Sobre a minha mesa estavam todas as cartas lançadas, todos os destinos percorridos, todos os caminhos, tanto os certos como os errados; eu não sabia decifrar as cartas, assim como todos os caminhos, porque sempre achei que tudo o que acontece, acontece por alguma razão, e ninguém me podia tirar isso da ideia, porque era impossível, ou tempo perdido tirar-me algo da mente ao qual eu já tinha formado um trajecto bem traçado a linha preta. Joguei as cartas fora, e os momentos inesquecíveis guardei-os num lugar especial, no coração não, porque cada vez que o meu coração ficasse fraco ele não iria saber distinguir o bom do mau, só iria encontrar defeitos em todas as portas que batesse. Por isso guardei tudo no pensamento, porque sabia que esse não iria ser atraiçoado por nada, e que nada fazia esquecer as memórias que ele já tinha guardado de alguma parte, ou de alguma maneira. 

7 comentários:

D&L disse...

Gostei bastante :)

mary ronnie disse...

Pois, é preciso é respeitar :)

Ana Margarida disse...

Força, querida ;)

Gabriela ♥ disse...

Escreves tão bem *_*

Biia Santos disse...

Adorei o blog
Sigo*

Mariana ;) disse...

lindo !
vou seguir xb

Mariana ;) disse...

argumentos ? ;) obrigada eu !