sábado, 10 de dezembro de 2011

torna-se difícil

Mais uma noite em que o medo de deitar a cabeça na almofada se torna cada vez maior, cada vez que insisto em querer dormir tu persegues-me, persegues-me em pensamentos, em sonhos, por isso prefiro ficar aqui a escrever para ti, sabendo eu que não estás desse lado para me poder ouvir, até que o sono não me consuma totalmente eu nem coragem tenho para deitar o meu corpo sobre a minha cama sozinha e os meus lençóis gelados. Torna-se repetitivo ter que dizer isto todas as noites, mas a tua falta a cada dia é mais constante e a tua saudade corrói-me até não poder ser mais. Não gosto muito de surpresas, mas todos os dias anseio para que me faças uma. Quero dormir, quero poder descansar sem ter de pensar em ti, e em nós.

Sem comentários: