quinta-feira, 3 de novembro de 2011

down

Senta-te, precisamos conversar. E só de ouvir aquela frase eu já tremia toda por dentro e por fora. Algo me começou a invadir como se fosse uma espada sobre o meu peito, ou a água fria a percorrer o meu corpo no Inverno, fazia com que a cabeça ficasse noutro lugar e com que o coração acelerasse tanto que me deixasse quase sem respirar. As minhas mãos estavam geladas, os meus lábios roxos, a minha voz estava roca de tanto gritar por ti, os meus olhos estavam cheios do borrão que o lápis preto deixara no meu rosto, e a minha pele estava suave. Estava surda, as palavras não me saiam da boca e eu quase nem conseguia olhar em direcção à luz. Tu não podes continuar assim, tu não podes deixar de ser quem és, e foram as últimas palavras que se ouvira dela naquele último dia triste, aquele seria o último dia dela de mágoa e sofrimento, e assim o foi.

3 comentários:

carolina disse...

é preciso é seguir sempre em frente e de cabeça erguida, por muito que custe, pq sei que às vezes custa.

raquel disse...

claro que não! oh, é tão bom saber isso*

Andreia' disse...

força querida! *