segunda-feira, 31 de outubro de 2011

pseudô amor, amor verdadeiro

Olá pseudô amor, ou deverei chamar-me somente mesmo amor? Bem, não interessa. Sei que à imenso tempo que não escrevo para ti, mas achei que devia fazê-lo hoje porque entramos em Novembro, sei que sabes o que isso significa, sei que sabes que neste mês faz um ano que a nossa história começou, e que apesar de ter passado um ano e de nós estar-mos separados tu continuas a ser meu e eu tua, mesmo que em histórias de livros apenas só nossos. A verdade é que passado um ano ainda me lembro muito de ti, lembro-me de todo o conforto que me deste durante meses, e durante também este tempo que estivemos separados. Nunca soube qual seria a sensação de ter um grande amor, e a verdade foi que eu o encontrei, em ti, agora percebo porque a palavra amor tem tanto significado e é tão forte. Sei que nunca fui fácil de lidar, e também sei que tiveste de ultrapassar muitos obstáculos para chegares até mim, mas acho que isso deu para perceber apenas que eu na tua vida não fui apenas uma, fui única, não fui regra, mas sim excepção. Já conseguiste meter o meu coração a palpitar a cem à hora e os meus olhos a brilhar de felicidade, já conseguiste arrancar o meu maior sorriso e também o meu maior choro. Foi por ti que cometi as maiores loucuras e parvoíces, mas também foi por ti que sofri muito, que me doeu o coração até não poder ser mais, até não conseguir controlar a dor, mas como tudo na vida passa, isso passou. A verdade é que ainda quando ouço a tua voz, ou vejo o teu nome no meu telemóvel o meu coração palpita, acho que foste o meu único e primeiro amor, foste o primeiro, e disso certamente não me posso esquecer, e por mais anos que venham, eu vou-me lembrar sempre de ti. Não sei se este mês vai ser um mês complicado ou não pelas lembranças que deixei para trás que tentei apagar e não consegui, ou não quis. Sempre foste especial e tu sabes bem disso, e por mais que diga sabes que o meu coração é quase todo teu. Tentei apagar-te da minha memória e dos meus pensamentos, mas não deu, se o fizesse estaria a ser injusta. Só quero que guardes tudo aquilo que te dei, assim como eu guardei o que me deste a mim. Aprendi muito contigo, coisas boas e outras menos boas, mas não me arrependo de nada do que fiz por ti, não me arrependo de te ter ajudado a encontrar a felicidade, mesmo que não fosse comigo, pois sempre fui assim, quando gosto muito de alguém só a quero ver feliz, então eu entreguei-te a felicidade de mão beijada e empurrei-te para dares um passo em frente e seres realmente feliz, ainda hoje não sei como tive coragem, ainda hoje não sei como fui tão forte, mas fui, e isso só fez com que eu ainda tivesse mais força para continuar em frente e para lutar por aquilo que realmente quero. Tu sabes que eu sou umas das pessoas mais fortes que tu conheces e também sabes que tenho muito carácter, talvez seja por isso que tu também ainda não te esqueceste de mim, porque sabes que sou sempre sincera e odeio mentiras e falsidades. Não sei se a nossa história algum dia vai bater certo e se vai continuar, só te quero dizer que agora passado um ano vejo na pessoa que te tornaste para mim, vejo tudo aquilo que se passou e não me arrependo de nada. Gosto muito de ti, e por mais coisas que escrevesse a descrever-nos a nós e ao nosso pseudô amor não conseguia, porque não existem palavras para descrever um amor como o nosso. Um grande beijinho, felicidades meu pseudô.

2 comentários:

disse...

gostei.


ps: visitem, comentem e seguiam http://cheiradesabafos.blogspot.com/ & http://silenciodosegredo.blogspot.com/

obrigado e beijinhos da Dé.

. disse...

uma gracinha o texto , amei (: