segunda-feira, 31 de outubro de 2011

coff da manhã

E o empregado trouxe-me o café à mesa como fazia quase todas as manhãs, era já quase ritual eu parar ali para tomar café. Sei que nessa manhã ele ficou um bocado admirado, porque eu tinha ido sozinha, não levava ninguém comigo, e ele sabia exactamente que eu odiava beber café sozinha, e sabia que a minha companhia me alegrava muito e me completava o coração. O empregado perguntou-se vezes sem conta o que tinha acontecido, e eu permaneci calada; aposto que pensará ele que eu estava a ser mal educada, mas não. Puxei de um pedaço de papel e de dentro da mala tirei uma caneta, comecei a escrever e a seguir coloquei-a debaixo da chávena de café que ele me trouxera. Acabei de beber o café, e levantei, o empregado ia para levantar a chávena quando viu que eu tinha rabiscado algum coisa naquela papel que dizia "eu continuo a vir aqui todos os dias, na esperança de tu um dia voltares", ao ler isto ele chama-me, eu olhei para trás, sabendo já ao que ele se ia referir, e dei um sorriso e disse: se o encontrar por cá entregue-lhe esse papel, mas não diga que fui eu que o escrevi! 

5 comentários:

maria gabriella disse...

está tão lindo! :o adorei! :)

Maria Inês disse...

E é assim que deve ser querida. O que escreveste aconteceu mesmo? Acho super fofinho :D

inêsf. disse...

oh, que post tão doce!

Maria Inês disse...

Está super querido :D

Andreia' disse...

Oh tão fofinha! *-*
Está mesmo lindo.