quarta-feira, 6 de julho de 2011

peço-te, por favor

Hoje, principalmente hoje sinto-me só, é como se tudo à minha volta não existisse mais, é como se tu já não estivesses aqui, e afinal já não estás, e eu já nem sequer me lembro como foi a tua partida, ou então lembro-me mas não me quero lembrar ao mesmo tempo. Hoje custa-me saber que te perdi, que te tive e não te soube conservar, mas estava numa fase complicada, tinha saído de uma relação complicada e nem todas as memórias e sentimentos estavam apagados, hoje estou aqui, limpa ou quase limpa de um amor degastado, de um amor impossível, a verdade é que já nada me dói, já não me dói o coração, nem a alma pelo amor que se foi embora. Dói-me a alma por saber que tu andas por aí perdido sem sequer quereres saber onde estou, com quem e como estou, não queres ou por orgulho não o queres perguntar. Mas do que te vale o orgulho se depois olhas à tua volta e eu também já não estou, e nem sequer deixei recado, mandei mensagem ou deixei o meu rasto para tu me seguires, se algum dia te lembrares que eu marquei o trajecto, na tua vida, liga-me, manda-me mensagem, mas faz isso tudo num curto espaço de tempo, porque depois pode ser tarde demais.

3 comentários:

Esther disse...

é mesmo boa onda!

Ana Margarida disse...

Oh querida, ele há-de mandar mensagem, não percas as esperanças :) muita força!

Mafalda disse...

Sabes, eu adoro ler-te!!