sábado, 27 de outubro de 2012

2354

Sei que há muito tempo que não escrevo para ti, talvez por medo, ou por não querer expressar as palavras que me fluem a todo o momento na mente. Sei o que sinto, mas não sei explicar, é um vazio enorme que se apodera de mim todos os dias como se a tua falta me fosse fazendo feridas que eu já não pudesse sarar, agora sei que já nada nos liga, sei que o que passamos juntos embora tehas sido forte acabou, palavra essa que a minha mente e o meu estomago não consegue dirigir. À medida que vou escrendo a minha mente vai pensado em ti e em todos os momentos que passamos juntos, tendo eu vontade de os ter novamente e de escrever mais e mais para ti. O meu coração ainda é teu, e eu não consigo deixar entrar mais ninguém, depois do fim, não sei porque todas as vezes que alguém me tenta dar carinho e entrar no meu coração eu dou meia volta e vou embora, penso em ti, repenso e vou embora de novo, deixando o sabor amargo que a ausência de alguém ainda me faz mal. Há quem diga que fomos feitos um para o outro, e eu ainda há tempos que acreditava nisso, quando bati de frente com a cabeça na parede e acordei para a realidade, é estranho, torna-se complicado, é como se tu tivesses aqui e eu te sentisse todos os dias, a verdade é que também se ainda sonhamos com algo é porque acreditamos, e eu já não sei bem se acredito em nós. Sei que se te mostra-se isso te ia constragir com a pura verdade que aqui está escrita, embora seja só palavras, mas também sentimentos que neste momento me fluem no ar. Cada vez me sinto mais, e a cada novo dia já acordo a pensar no que fazer para te conquistar de novo, mas acho que não me sinto preparada para lutar por ti outra vez, e quando vou a falar para ti faltam-me as palavras que eu queria que não me faltassem. Eu tento não escrever para ti mas é inevitável, não falo isto que sinto com ninguém é por vezes sinto-me a explodir por dentro, por isso escrevo aqui, para ti, para os leitores que me lêem, sabendo eu que tu nunca irás ler, mas sinto mais liberta quando isto acontece. Sei que é massador ler isto tudo, e não penses que o sentimento apenas diminui com o tempo porque isso não é verdade certamente, ele apenas aumenta, e eu vejo em ti vezes sem conta o amor da minha vida, o amor que eu quero ter, mas não posso. Hoje pela primeira vez arrisco-me a dizer que te amo, sabendo eu que a palvra se tornou tão cliché. Mas eu amo-te, amo-te com sentimento, como nunca senti isto por ninguém. Please forgive me.

1 comentário:

catarina disse...

tanto sentimento linda s: