terça-feira, 31 de julho de 2012

words in the wind

Ofusca-me o olhar já despedaçado por sentimentos já fechados, a saudade que não se sente, e o coração que não bate a mil à hora na esperança que tu entres por aquela porta e me venhas abraçar; na verdade a minha cabeça só pede para não me voltares a procurar se a tua intenção não é encontrar-me todos os dias deitada a teu lado, respirando baixinho para que possas dormir mais um pouco. O coração bate calmamente, contente agora, por saber que não o vais procurar, sem criar ilusões volta ao normal e sente-se livre. Dá sorrisos ao vento como se a sua liberdade fosse o melhor dos sete ventos que ele teve de ultrapassar, esquecendo-se ele que o mais triste do amor, é não sentir nada.

3 comentários:

Mariana disse...

está muito bom, mesmo

daniela fernandes disse...

E também tu tens de escolher o que te faz feliz :')))

Ana Margarida disse...

Uma escrita sempre tão pura.