segunda-feira, 7 de maio de 2012

broke up

O medo instaurava-se nos meus poros até ao último fio de cabelo, a entrega, o sentimento e até a saudade daquilo que não fomos me atormentou a cabeça e foi desgastando o meu corpo cada vez mais. Puxei uma cadeira e sentei-me, sobre a mesa de vidro da sala, imaginando na minha mente, aparecia o teu nome, e os teus olhos cor de mel, meios esverdeados. A fúria conseguia-me consumir, e cada vez mais a minha mente imaginava escrito no vidro da mesa coisas que tu me tinhas dito, a pressão ofuscou-me o olhar, e com toda a força dei um murro na mesa, e partiu-se tudo, os cacos caiam para o chão como se fossem agora perdidos, eu deixei cair a cabeça sobre os meus braços, e sem nunca derramar uma lágrima, levantei-me, apanhei os cacos, tentei concertar o que tinha feito, mas já era tarde, já tinha machucado o sentimento mais precioso, e perdido todo o respeito pelo que estava à minha frente. Sentei-me de novo, a minha mente estava a ser-me traiçoeira, pensei, repensei, e fiquei ali horas e horas a pensar por nós. Até que os cacos que se tinham partido escreveram em letras bem grandes - não desistas agora, lembra-te do que fizeste para chegar até aqui; levantei-me de novo, senti um aperto no coração, deixei tudo como estava, ergui a cabeça, sorri, não desisti, percorri o meu caminho, em busca de ti.

5 comentários:

sam disse...

o que se passa contigo?

andrii disse...

oh, está lindo! <3

bruni disse...

que incrivel.. que se passa? és bonita, nao vas abaixo

Emilie Lorena disse...

Nunca devemos desistir, por muito difícil que pareça o nosso caminho. Nunca desistas!

alexandra m. disse...

não pelas melhores razões acredito :s