domingo, 26 de fevereiro de 2012

how much I love you

Mas eu gosto, dizia eu num tom de orgulho, gosto da maneira que ele me trata e de todas as vezes que ele sorri para mim, eu apaixono-me todos os dias um pouco mais por ele, sem ele saber disso, apaixono-me pela sua maneira de ser, forma de viver, e pela calma e tranquilidade que ele me transmite, nunca pensei vir a dizer isto a alguém, ou de alguém; os meus olhos começaram a ficar mais brilhantes, e esboçava do rosto um sorriso estúpido. Sei que quanto mais falo nele, pior, pareço uma parva, e podia passar horas a descreve-lo, sei as suas qualidades, mas o que gosto ainda mais é de saber os seus defeitos. Eu nunca estive assim, apaixonada, ou a querer pertencer a alguém, estar sempre ao lado de alguém, da melhor forma, mas depois, depois vem... e parei por uns instantes nas palavras, e alguém me perguntou se o medo também me perseguia a cada passo; então eu dei um suspiro bem fundo e respondi com todas as letras, sim o medo a mim também me invade, eu também tenho medo de largar tudo por ele, e ele abandonar-me ou então ser uma relação como eu teria no passado, e perante isto uma voz grosseira e forte respondeu-me, mas ele não é igual, e tu sabes melhor que ninguém que só lutas por aquilo que vale a pena, que só sorris para alguém quando sabes que te vão retribuir um sorriso verdadeiro, o medo a ele invade-o mais que tudo, e é por isso que ele se está a afastar de ti, diz-se e contradiz-se, não sejas como tantas outras que desistiram dele à primeira oportunidade, alias, tu não tens nada a ver com as outras, és forte, sabes os teus limites, mas acima de tudo sabes quando deves lançar as cartas na mesa, na hora certa, no tempo certo, só não te esqueças de uma coisa, embora sejas muito orgulhosa, não o abandones em nada, faz-lhe ver a ele que tu sabes como fazer a diferença e que estás disposta a dar tudo, que estás disposta a moldar-te a ele, agora corre, luta, e faz como se nunca tivéssemos tido esta conversa, e sabes bem porquê. Vá mete um sorriso na cara gaiata, ele lá no fundo... E eu fiquei surpresa e perguntei, lá no fundo? Vá vou embora, mas não te esqueças, corre atrás. E foi assim que a minha mente ainda fica mais poluída.

5 comentários:

sam disse...

é assim que deve ser anjinho, és a mesma coisa!

Mariana, disse...

mesmo :)
escreves bem, parabéns*

Katty disse...

Eu sou de dar tudo até ao fim, até não haver pingo de amor pela outra pessoa. Se assim não for como podemos dizer que não valeu a pena se nós não demos tudo?
Eu posso dizer que a minha relação com o meu ex não deu com a certeza de que não dava mesmo porque eu dei tudo o que tinha a dar enquanto o amei e sei que quando acabamos os meus sentimentos já tinham mudado, tal como os deles. Se há amor vale a pena tentar.

"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena" ;)

nicolemorais disse...

esta conversa está tão linda! adorei o teu blog!

Paula Ribeiro disse...

Diz mesmo muito isto :))