quarta-feira, 12 de outubro de 2011

bem bem

Hoje o tema eras tu, o massacre continua nos meus dias, percebo e quero entender que falam de ti para eu perceber que tu ainda tens coisas boas. Bebi o café e a seguir peguei num livro como se me tivesse feito de desentendida da conversa, quando alguém me limitava a perguntar alguma coisa eu respondia como se não estivesse a ouvir, e com um incrível e simples, mas afinal estão a falar do quê? E eles riam-se como se eu na testa tivesse escrito parva. Começaram por dizer que era um bom amigo, e que era incapaz de guardar rancor a alguém, que era sincero e que dizia tudo exactamente como era. E eu fazia-me desentendida e continuava a ler a revista enquanto da minha boca saiam palavras tipo "beca beca", nisto o estúpido do João dá-me uma chapada na cabeça e diz-me para eu não fingir que não estou a ouvir, eu respondi apenas está bem. Continuaram, diziam eles que gostavam de nos ver juntos, e que fazíamos um casal bonito, por sermos tão diferentes mas depois tão iguais ao mesmo tempo, e eu continuava a ler a revista; até quando pergunta um deles, e eu até quando o quê? E ele continuo, até quando vais deixar andarem assim, entre cá e lá, como se fossem meros desconhecidos? E eu, parei por uns segundos e respondi, até quando o tempo quiser, não sou dona de nada, muito menos do tempo, por isso essa pergunta não tens certamente de a fazer a mim, e agora assunto encerrado. 

1 comentário:

APF disse...
Este comentário foi removido pelo autor.