quinta-feira, 18 de agosto de 2011

A tua espera a cada dia que passa parece ser cada vez mais longa, já não sei que fazer mais para fazer com que a espera seja menor ou para que tu voltes tão depressa como um estrelar de dedos ou apenas um sopro no coração. Quando chegamos a esta idade achamos que não podemos fazer nada para trazer a pessoa que gostamos ou julgamos gostar até nós. A verdade é que eu gosto de ti, e continuo a gostar até depois das últimas frases e palavras ditas ao vento às quais não tive resposta; não estou chateada ou zangada contigo, nem triste, ao saber que tu estás bem a felicidade invade-me a mim também. Espero que já tenhas pensado tudo sobre o assunto que te falei no sábado, e sobre todas as coisas que te disse. Ainda hoje permaneces calado, e isso às vezes leva-me a desistir de ti, e de nós, mas depois olho para o sol que trespassa a janela e vejo mais um dia onde a esperança não nasce em vão, então cada dia que acordo e tiro a cabeça da almofada, levanto-me e vou ao teu encontro sempre, para te poder conquistar todos os dias que acordar pela manhã.

Sem comentários: