domingo, 3 de julho de 2011

sento-me, aprecio e oiço

Fiquei calada, imobilizada, foi assim que fiquei, sem me mexer do sitio onde estava e mais calada que nunca, foi assim que fiquei depois de te ver e de te observar, depois de te olhar e ver que eras tu que lá vinhas, bem ao fundo, o vento bateu me no cabelo e fez com que ele se metesse à frente deles, e eu deixei de te ver, tirei o cabelo da frente dos olhos e olhei de novo, eras tu, perfeitamente tu e eu não queria acreditar, fiquei nervosa é verdade, e o meu instinto foi dar um gole na garrafa do vinho que estava na minha mão, parecia parva, mas estava mais que olhos vistos que tu vinhas lá. Eu não saberia que poderia fazer para ter uma oportunidade de novo, mas sabia que mais para o desenrolar da noite, ou melhor madrugada, eu tinha uma solução, porque nisso sempre fui muito boa. Passado alguns momentos puxei pela camisa e trouxe-te para perto de mim, a verdade é que senão fosse uma situação normal teria levado logo uma resposta torta. Falamos, ou melhor discutimos! A verdade é que deixas a minha cabeça a mil sem sequer eu encontrar o porquê e depois de longas horas de eu encontrar respostas, tu voltas-me a fugir com as perguntas. Será assim tão complicado perceber o que te quero dizer mesmo que seja por entrelinhas? É que a mim parece-me mais fácil do que aquilo que parece.

8 comentários:

Gabriela ♥ disse...

Amei :)

Ana Margarida disse...

Está lindo *.*

mary ronnie disse...

não percebi aquela do estão bem de saúde xD

abc disse...

Pois, mas estou já não estou tão confiante porque após tanto «mal-entendido» uma pessoa começa a ficar fraca.

ana pinto disse...

pois, diz imenso e eu amo :o

Hapi disse...

Felizmente posso dizer e garantir que sim, e sinto-me com uma enorme sorte por isso!

ana pinto disse...

hihi (':

Catarina disse...

Eu tenho uma digital normal , mas queria uma profissional sou louca por fotografia.
Estou a ver se faço espécie de " vaquinha" para meter € lá para dentro e concretizar o meu desejo .