quinta-feira, 30 de junho de 2011

se eu pudesse, dizia tudo o que eu não posso

Hoje continuo aqui, ainda penso em ti, e por mais razões aparentes que encontre para não pensar, não encontro. Nunca me fizeste mal e sei que a tua intenção nunca me foi magoar, nem tratar mal. porque afinal sempre te preocupaste comigo, ou então as tuas palavras não eram reais. Mas sei que tu não és assim, daquilo tipo de pessoas que diz as coisas por dizer e que faz as coisas apenas por fazer, sei agora também que se te perdi, foi porque o erro foi meu e não teu. Foi meu é verdade, porque por vezes julgo que tenho o mundo na mão e a meus pés, sou diferente, mas é essa diferença que fez com que algo em mim, desperta-se em ti; não te vou pedir desculpas, porque ao contrário de ti, não consigo ser assim, não dou o braço a torcer, por nada. Também não vou pedir que voltes, por mais que queira isso para mim, mas não seria justo pedir-te para voltares depois de não saber nada de ti até agora, se te quiser realmente para mim e achar que isso é o certo, não te preocupes, porque eu luto por ti, porque nunca deixo partir quem eu gosto, e se tu fores dessas coisas, eu irei querer sempre ter-te aqui a meu lado. Só quero que me expliques, depois de tantas semanas não saber nada de ti, que mensagem foi aquela? Será que ainda te preocupas? Será que ainda te preoucupo? É incrivel como tu com uma simples mensagem consegues fazer com que eu deia um sorriso, é pena quw depois disso, me deixes, e andes por aí, outra vez, perdido!

3 comentários:

Gabriela ♥ disse...

Amei este texto +_+

Menina da Rua Himmel disse...

Pessoas vem e vão, é inevitável e desgastante.

jezebel disse...

mesmo, mas podia haver ;)