sexta-feira, 24 de junho de 2011

não quero apaixonar-me, isso não!

Tenho medo do que estou a sentir, e que possa vir a sentir mais. Conheço-te a apenas algumas semanas e é como se já te conhece-se à anos, e como já fizesses parte da minha vida a algum tempo. Nunca me senti assim, a achar que quando olhei para ti, nunca mais te esqueci. Fiz-me de difícil, e tentei não ter nada contigo, porque já te admirava a algum tempo, e o que me fez esquecer a primeira vez que te vi foi quando ele me ligou e voltamos. Passado um tempo voltei a encontrar-te a não conseguir tirar os olhos de cima de ti, ele já não estava comigo, a verdade é que ainda era recente, mas já não tínhamos nada a ver, eramos apenas amigos. E eu pensava, para mim própria, mas o que me está a acontecer afinal? Voltei novamente a esquecer que te tinha visto alguma vez, mas não conseguia, cada vez que ia a algum lado estava sempre na esperança de te encontrar de novo. Passado algum tempo, estava eu a trabalhar numa festa e tu metes-te conversa comigo, e eu dei-te para trás, porque sabia que já tinha reparado em ti, e não queria dar a entender isso, ficou por aí. No dia seguinte, ia eu a chegar a uma festa e quando dou por mim estavas tu a puxar-me por um braço e a falar comigo, eu não consegui dizer uma frase certa, e só queria que me tirassem dali. Mudei de bar e quando estava à porta à espera para entrar, vinhas tu, ficamos a falar a noite praticamente toda, mas eu não queria aproximar-me de ti, não queria, porque sabia que se me aproximasse eu ficava ainda mais apanhada por ti. Tu disseste-me que me levavas a casa, e eu não quis; mas depois por motivos de força maior acabei por aceitar. Tu deste-me a mão e eu tirei logo a minha, mas tu voltaste a dar-me a mão. Comecei a pensar como me iria safar desta, porque afinal sabia, que já tinhas ficado na minha cabeça durante algum tempo. Chegamos, paraste o carro e disseste-me para ficar contigo, eu fiquei, pediste-me um abraço e eu descontra vontade dei-to, mas tu percebeste que não era verdadeiro e pediste-me outro, e eu lá cedi. Passado algumas horas de falar-mos o primeiro beijo aconteceu. E eu não sabia o que pensar ou dizer. Mas de uma coisa tinha a certeza, que não ia conseguir deixar de pensar em ti, durante algum tempo. A verdade é que agora passado semanas, eu pareço cega, e não sei que se passa. Mas queres saber? Eu acho que sou cega por ti, desde do primeiro dia que te vi.

2 comentários:

angélica disse...

gosto muito *

Mafalda disse...

Oh isto está lindo!