domingo, 26 de junho de 2011

gosto de ti à minha maneira

Continuas a andar por aí, mas agora eu não sei de ti, não sei por onde andas, não sei por onde paras, a não ser que alguém conhecido me informe que tu estás no mesmo sitio que eles, e sabes o que me apetece às vezes? Ir lá, nem que seja só para te ver, para te poder apreciar com os meus próprios olhos e ver se estás realmente bem, mas depois.. há algo mais forte que diz "não vás" e eu acabo por não ir, e por vezes fio perdida, tal como tu! Só gostava que me desses uma última oportunidade de falar para ti, queria apenas esclarecer as coisas mal ditas e os mal entendidos, mas tu nem sequer me deixas chegar ao pé de ti para dizer um simples "olá", e isso a mim custa-me, porque nunca te quis perder, mas tanto arrisquei, tanto disse, que acabei por te perder mesmo, e agora tudo o que resta é apenas momentos deixados para trás e frases ditas pela madrugada fora!

3 comentários:

Ana Margarida disse...

Força, querida!

Mapgwi disse...

pois, tudo a seu tempo.

anaraquelvj disse...

Força*