segunda-feira, 18 de abril de 2011

tou a morrer por fora e por dentro

Já não me resta nada, parece que tudo o que conquistei se perdeu de novo, que fiquei de novo sem chão, sem estrada por onde andar, por vezes penso que não nasci mesmo para ter alguém a meu lado, para ser feliz e fazer feliz alguém; cada meta que corto e cada caminho que percorro cada vez parece mais longo, por cada pessoa que passa por mim, cada vez parece que mais depressa se escapa das minhas mãos, e eu nem sequer força tenho para a amarrar com força, ou a segurar junto a mim, será o destino? É que senão for digam-me exactamente o que poderá ser isto, é que isto mata me por dentro cada vez mais a cada dia que passa, a cada dia que percorre, parece que a vida em vez de andar para a frente anda para trás, e eu sem saber o que fazer, permaneço quieta, calada e sem me mexer, aqui sentada, até que alguém me venha buscar e diga "és tu quem eu escolho para fazer feliz".

4 comentários:

van disse...

não penses assim, pensa antes como o post anterior a este - é mais saudável(:

Mafalda disse...

Sabes são percursos, percursos estes que um dia estão cheios de tudo e no outro se perdem no nada. Mas o chão, o chão é o caminho e esse está sempre lá. Não desistas*

Mafalda disse...

Concordo Van*

-bar disse...

pensa como o post anterior asserio força , sigo pq amo o teu blog *e*