sexta-feira, 20 de abril de 2012

the time it is wise

E toca-me o rosto levemente, o vento em mistura com o tempo, que se tem revelado grande, grande e calmo na minha vida, embora sem ou com frutos para colher, eu gosto de ter o tempo por perto, apesar de por vezes perguntar vezes sem conta a que ele se resume e qual a sua verdadeira essência, mas perguntas sobre coisas que não podemos calcular todos temos. Surge na minha mente palavras do passado, e de como a tristeza me invadia todos os dias, surge também todos os momentos passados apenas com desconhecidos, amigos e os verdadeiros. A minha mente está limpa e há quem diga que eu estou sábia, sábia nas minhas palavras, gestos e pensamentos, mas eu gosto, gosto de me sentir assim, optimista, com esperança, calma, e acima de tudo com toda a paciência do mundo, pronta para que tu um dia chegues.

1 comentário:

Ana Margarida disse...

E é assim mesmo, minha querida.