quinta-feira, 5 de abril de 2012

AVÔ, SAUDADES III

Avô, quando não tenho forças para lutar agarra-mo a ti, mesmo que já não estejas a meu lado,  estás sempre presente, estás sempre no meu coração; às vezes sinto imensas saudades tuas, e ainda hoje me pergunto porque quiseste partir assim tão cedo, sem nada dizer, sem deixares sequer uma explicação para me acalmar, quando recebi a notícia que tu tinhas partido nem sequer queria acreditar, não conseguia cair em mim, fiquei em choque e sem saber que dizer ou fazer. Sabes? Gostava de te ter dito muito mais coisas, e gostava que tivesses permanecido ao meu lado por mais tempo, mas não te julgo por teres escolhido esse fim, porque sei que há alturas na vida que nos vemos com tudo, mas no fundo sem nada, podias ter muitos defeitos, mas não era por isso que eu gostava menos ti. Ainda me lembro de todas as vezes que eu te ia visitar nas sextas, quando ia à aldeia e tu fazias-me sempre rir, por mais que eu me sentisse triste, e mesmo sem o saberes eu admirava-te, eu admirava-te com olhos de ver. Queria que tivesses assistido a mais batalhas na minha vida, de perto, mas sei que também as vais assistir onde quer que estejas. Nunca pensei sentir tanto a tua falta confesso, a verdade é que sinto, e não sei explicar por vezes a enorme dor que me consome por dentro. Hoje jogou o sporting, e eu tornei-me a lembrar de ti como sempre, porque tu eras fanático por o nosso grande clube, ainda me lembro de ir contigo a caravanas pela cidade quando era mais pequena, tornei-me sportinguista por tua influência, e não me arrependo nada, e prometo não quebrar essa promessa, o sporting hoje passou às meias-finais, acho que ficas orgulhoso em saber, por isso, quis contar-te isto. Também há várias coisas que sei que acompanhas na vida, aí de cima, embora eu algumas vezes fale contigo e te conte todas as minhas dúvidas. Sabes avô? Hoje sinto-me triste, melancólica, não sei que se passa, sei que talvez sempre me tenhas conhecido com um sorriso no rosto e afinal sou um coração mole. Acho que estou a começar a ficar apaixonada, embora eu queira contrariar isso todas as vezes, ele é bom rapaz, nunca conheci um rapaz como ele, é raro ver-mos rapazes de vinte anos sem segundas intenções, gosto de como ele me faz sentir, ele faz-me bem sabias avô? Eu não queria fazer nada para estragar o que havia entre nós, mas afinal acho que mais uma vez cometi um erro ao querer ser tão apressada, e agora não sei como corrigi-lo, só queria que tudo começasse a dar certo, que tudo tivesse um rumo novo, e que me dessem uma oportunidade de ser feliz, com alguém que gostasse de mim verdadeiramente, mas acho que isso tu já tens visto em todos estes dias que só tenho sabido chorar, sei que isso não resolve nada, mas por vezes ajuda. Só quero que me protejas, e não deixes que me levem as pessoas que eu gosto, porque já me levaram a ti, e a dor consumiu-me, foi horrível sentir a tua perda; bem, começa-se a estender este meu texto e tu talvez nunca o vás ler, porque já não estás comigo, mas eu mesmo assim escrevo, na esperança que tu me ouças. Adoro-te, da tua neta mais velha, por favor cuida de mim aí em cima.

1 comentário:

Leonor disse...

As saudades são terriveis. Força *