quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

algures em Março, o primeiro texto que escrevi para ti

Olho para ti e tento não sentir nada, mas o meu coração insiste em bater forte sobre o meu peito, as pernas tremem, fico fraca, não por te ter longe, mas por te ter tão perto. Sei que às vezes é absurdo ficar assim, mas as borboletas insistem em voar cada vez mais sobre o meu estômago, a minha ansiedade vai aumentado a cada passo teu, e quanto mais próximo estás, mais eu colada ao chão e muda fico; à imenso tempo que não sentia isto quando via alguém, e agora estou a senti-lo, de novo, verdadeiro e puro. 

6 comentários:

paula maria disse...

lindoo*

andré disse...

se é para pedir é há grande. smpr

Hapi disse...

Vai ao meu blog, vê o meu novo post e vê se está de acordo, preciso da tua permissão!

AnaP. disse...

tenho a certeza que vai correr tudo bem, vais ver :)

AnaP. disse...

uma das prendas ele já viu, e tipo adorou, olhou para mim e disse : "tu és doida" e beijou-me :D

L ♥ disse...

de nada, querida :) pois é..