quinta-feira, 17 de novembro de 2011

não se demonstra, sente-se

O frio congelou-me, congelou o que havia em ti, o que havia em mim, e parece que se esqueceu de todas as que nos ligava a nós. Não sei viver no quase, mas a verdade é que tive de aprender a habituar-me a ele, mesmo não querendo, mas mesmo assim eu aceitei-o por ti, porque existem coisas que só se fazem uma vez na vida, e por mais estranha que pareça essa razão, há uma razão, assim como existe uma razão para viver e para nos levantar-mos todos os dias dos lençóis quentes e confortantes. A cada dia que passa, parece que vou ficando cada vez sem menos chão debaixo dos meus pés, a minha alma vagueia todos os dias sobre ti, e os meus lábios tocam os teus nos sonhos. Quando o coração dói, as palavras custam a sair, e o meu já está ferido, e não é de hoje, nem de ontem. Eu até posso cair todos os dias, mas eu ergo-me sempre, às vezes não por mim, confesso, mas por ti, porque és a única razão por a qual suporto isto tudo, só espero que isto não seja amor, porque só de pensar que pode ser amor, parece que ainda dói mais. 

2 comentários:

paulamaria disse...

tens de ter força princesa <3

wendy disse...

adorei o texto,