quinta-feira, 29 de setembro de 2011

palavras gastas

As palavras custam a sair, o coração custa a ouvir tudo aquilo que lhe quero dizer, estão tudo tão sombrio e silencioso, como se fosse uma casa vazia quando alguém a deixa de habitar. As cartas na mesa já não fazem mais sentido e eu voltei a guarda-las de novo num baú. Não consigo falar, parece que estou muda e surda, mas lá bem no fundo eu ainda consigo ouvir a tua voz e sentir o teu cheiro. Quero dormir, mas tu invades-me a cabeça a cada instante como se estivesses dentro do meu crânio. O coração não aguenta tanto, mas eu quero que ele aguente mais um bocadinho para perceber até onde pode chegar sem ti e ser feliz. Lembro-me de tudo o que me disseste naquela noite e não me esqueço que a lua estava a sorrir para nós, assim como nós sorriamos para as estrelas. Gritei bem alto, fiquei sem voz, o mundo parou e eu parei com ele. Gritei ainda mais alto e ouvi-se o meu eco a dizer "esquece-me"; gostava que as palavras me saíssem da boca, e que eu deixa-se de palpitar a cada esquina o desejo de te ver e ficar a teu lado. Não consigo mais, não posso, estou exausta, por agora vou desistir. Amanhã nasce um novo dia, e eu tenho medo do que os dias guardam para nós.

2 comentários:

Brunaa disse...

Lindo, lindo, lindo *.*
Love, Bruna

Ana Margarida disse...

Está tão bonito :)